Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Heidiland

Viver rodeada de montanhas, vacas, gatos e suíços // Wohnen neben Bergen, Kühen, Katzen und Schweizern.

Heidiland

Viver rodeada de montanhas, vacas, gatos e suíços // Wohnen neben Bergen, Kühen, Katzen und Schweizern.

Só na suíça || Nur in der Schweiz #18

Quem diria que uma ida ao supermercado serviria de tema para um texto? Sabiam que os preços dos produtos são apresentados de três formas diferentes (unidade, 100 gr. e quilo)?. O assunto pode parecer um pouco banal, mas importante para quem (estrangeiro) for às compras pela primeira vez a um supermercado na Suíça.

 

Como a realidade em Portugal é um pouco diferente, no início fazia-nos alguma confusão comprar fruta à peça e ao quilo e por algumas vezes ficámos surpreendidos com o preço final do peixe. Para terem uma noção dos preços selecionámos alguns desses exemplos:

mango_coop.jpg

Frutos exóticos – a sua grande maioria é vendido à unidade;

 

orangen_coop.jpg

Fruta da época – preço por quilo;

lamm_coop.jpg

Carne e Peixe fresco – preço por 100 gr.

 

Sabendo um pouco de alemão é fácil distinguir peça (Stück) de quilo (Kilo), mas se estiverem com alguma pressa conseguem ser facilmente “enganados”. Assim nos despedimos, mas sem antes deixarmos duas perguntas: O que é que vocês acham desta forma de apresentar os preços? Acham que se adaptariam bem?

 

Para a semana estaremos novamente ausentes, porque teremos visitas. Continuem desse lado que prometemos regressar com mais novidades e curiosidades sobre a Suíça.

Só na suíça || Nur in der Schweiz #17

aperto-de-mao copy.jpg

Foto: Freepick.com

 

Na última semana a falta de inspiração tomou conta de nós e apesar de termos alguns temas em mente as palavras não surgiam. Assim sendo, decidimos parar uma semana para arejar as ideias, ler, comentar outros blogs e esperar que a inspiração aparecesse. Enquanto estivemos ausentes fomos a alguns eventos sociais que nos inspiraram para o tema de hoje: cumprimentar!

 

Os suíços têm pelo menos duas formas de cumprimentar que variam conforme o nível de confiança e formalidade:

 

Aperto de mão:

Quando se conhece uma pessoa (vizinho, colega, chefe...) pela primeira vez, o correcto é apertar a mão. Pode ser um gesto formal, mas evita qualquer mal-entendido.

 

Três beijos na cara:  

A partir do momento em que se tem alguma afinidade com uma pessoa podemos cumprimentá-la com três beijos na cara. Em caso de dúvida, convém esperar que a outra pessoa tome a iniciativa. Se houver afinidade e bastante confiança pode-se cumprimentar com três beijos e “acrescentar” um abraço (incompleto).

 

Ao princípio demorámos a interiorizar o cumprimento de três beijos (em Portugal são apenas dois), mas agora é algo completamente normal e segundo a nossa opinião mais simpático e intimista. Até descobri que sou uma pessoa que gosta de dar abraços, porque agora faço-o com alguma regularidade, independentemente de estar em Zurique ou Lisboa. – parece que a idade e a experiência mudam uma pessoa!

 

O que é que vocês acham destas formas de cumprimentar? Seriam capazes de se habituar aos três beijos ou pensam que é demasiado pessoal?

Lendas do Porto, o livro || das Buch

A cidade do Porto foi eleita o melhor destino turístico europeu de 2017. Em homenagem a esta grande cidade portuguesa recomendamos o livro do historiador Joel Cleto, “Lendas do Porto”. Julgamos que o livro é de leitura obrigatória para todos aqueles que pretendem conhecer a história e lendas por detrás desta cidade.

 

Lendas do Porto Vol I e II.jpg

 

Ao escrever esta recomendação descobrimos que o historiador apresentou no ano passado o quatro volume do livro. Por causa das raízes do norte do arquitecto foram-nos oferecidos o primeiro e segundo volumes (foi desta forma que tivemos conhecimento da sua existência). Confesso que vou a meio do primeiro livro, mas estou a gostar de cada passagem. Os textos são muito bem escritos e a linguagem é cuidada, mas não complicada.

 

Lendas do Porto vol III e IV.jpg

 

No primeiro livro são desmistificadas as lendas de Rio Tinto, O Homem da Maça e A Origem dos Tripeiros, entre outras. Esperamos ter despertado a vossa curiosidade para adquirirem ou oferecem esta obra. Despedimo-nos e até para a semana!

***

Die Stadt Porto wurde als bestes europäisches Reiseziel 2017 gewählt und wir werden diese Stadt mit der Empfehlung des Buches „Lendas do Porto“ vom Historiker Joel Cleto ehren. Wir glauben, das Buch ist für alle, die die Geschichte und Legenden Portos kennenlernen möchten.  

 

Als wir diese Empfehlung schrieben, haben wir gefunden dass der Historiker den vierten Band letztes Jahr präsentiert hat. Aufgrund der nördlichen (Nord Portugals) Ursprung des Architekten wurden uns die ersten und zweiten Bänder geschenkt. Ich muss euch beichten, dass ich in der Mitte des Buches bin und es sehr gern habe. Die Texte sind gut geschrieben und die Schrift ist zwar gepflegt aber unkompliziert.

 

Im ersten Buch werden „Rui Tinto“, „O Homem da Maça“ und „A Origem dos Tripeiros“ entmythisiert. Wir hoffen, dass wir Ihre Neugier geweckt haben, das Buch zu kaufen oder verschenken. Wir verabschieden uns und bis nächste Woche!

White Turf

white turf_08.jpg

 

Já algumas vez ouviram falar da corrida White Turf? No domingo fomos a St. Moritz (Cantão de Grisões) para assistir a mais uma edição da mundialmente famosa Corrida Internacional de Cavalos sobre o gelo. Leram correctamente, o evento ocorre sobre o lago gelado de St. Moritz. A primeira edição do White Turf decorreu em 1907 e apesar de não ser um evento único, atrai desde essa altura muitos visitantes.

 

É completamente seguro e a estabilidade do gelo é verificada para que o evento decorra todos os anos em fevereiro sem acidentes. Lamentavelmente, o último dia de corridas teve que ser cancelado devido à queda de três cavalos e respectivos cavaleiros (Jockeys). Fomos informados que devido a uma fissura no gelo, alguma água do lago subiu e fez derreter parte da neve. O piso instável levou à queda de um cavalo que originou a queda de outros dois. Apesar do acidente continuou a ser seguro estar em cima do lago, mas não para dar continuidade à corrida.

 

A nossa crítica à organização:

Os funcionários das bilheteiras após a queda deveriam ter avisado os (novos) visitantes que havia o risco de que a corrida fosse cancelada. Quando comprámos os nossos bilhetes não sabíamos que tinha havido um acidente. Infelizmente, não assistimos à corrida nem nos devolveram o dinheiro dos ingressos.

 

Para terem uma noção da grandiosidade do evento, das corridas e do jet set partilhamos um vídeo publicitário e algumas das nossas fotografias. Independentemente do cancelamento da corrida o ambiente era de descontração, alegria e muitos comes e bebes à mistura. Como se costuma dizer, para o ano há mais!

white turf_04.jpg

white turf.jpg

white turf_02.jpg

white turf_03.jpgwhite turf_05.jpg

white turf_06.jpg

white turf_07.jpg

white turf_09.jpg

 

Só na Suíça || Nur in der Schweiz #16

hello may name is.jpg

 

Quando uma pessoa pensa que não tem ideias para um texto surge sempre alguma eventualidade que nos inspira a escrever. A nossa rubrica “Só na Suíça” não é uma crítica aos suíços, mas antes uma forma de apontar as diferenças existentes entre os hábitos portugueses e os suíços. Por vezes, as situações mais simples são abordadas de forma diferente - nem melhores nem piores apenas diferentes!

 

O exemplo que vos trazemos hoje é o nome, mais precisamente o meu nome completo: tenho dois primeiros nomes e dois nomes de família. Para um português seria um nome normal, mas para a Suíça é demasiado longo. Aqui uma pessoa tem apenas um primeiro nome (ou raramente dois) e um nome de família.

 

Esta semana recebi uma carta e um e-mail endereçados à Frau (Senhora) Débora Rodrigues: um nome com o qual não me identifico. É uma consequência de ter um nome longo (Débora A. Rodrigues do Marco) e isto só acontece, porque os suíços privilegiam os primeiros nomes. O truque é escrever o vosso primeiro e último nome (ou como gostam de ser tratados): assim evitam estes enganos. Como tive que preencher documentos importantes, não pude omitir os meus nomes do meio.

 

Até lá, vou continuar a minha luta e a corrigir as pessoas. E vocês, já viram o vosso nome ser trocado ou escrito de forma incorrecta?

 

***

Wenn man denkt, dass es keine Ideen für einen Text gibt, entsteht einen Zufall, der uns zum schreiben inspiriert. Unsere Rubrik „Nur in der Schweiz“ ist keine Kritik an den Schweizern, sondern eine Möglichkeit, die Unterschiede zwischen den portugiesischen und schweizerischen Gewohnheiten zeigen. Manchmal wird bei einfachen Situationen auf unterschiedliche Weise reagiert – es ist weder gut noch schlecht nur anders!

 

Das Beispiel, dass wir Ihnen heute bringen ist der Name und zwar mein vollständiger Name: ich habe zwei Vorname und zwei Familienname. Für einen Portugiesen wäre es ein normaler Name, aber in der Schweiz ist er zu lang. Hier hat man nur einen Vornamen (manchmal zwei) und einen Familiennamen.

 

Diese Woche habe ich einen Brief und ein Email für Frau Débora Rodrigues erhalten: ein Name, mit dem ich mich nicht identifizieren kann. Es ist eine Konsequenz eines langen Namens. Der Trick ist seine bevorzugte Vor- und Nachnamen zu schreiben, so dass man diesen Irrtum vermeiden kann. Weil ich wichtige Dokumente ausfüllen musste, konnte ich den zweiten Vornamen nicht auslassen.

 

Bis dahin, werde ich meinen Kampf weiterführen und die Leute berichtigen. Haben Sie Ihren Namen geändert oder wurde er falsch geschrieben?

Exercícios dentro e fora de casa || Turnen innerhalb und ausserhalb des Hauses

yoga.jpg

Foto: Epicure & Culture 

 

No principio do mês (fevereiro) inscrevi-me num curso de Yoga. O meu objetivo era obrigar-me a falar mais com outras pessoas. O facto de estar a adorar a experiência (somos apenas cinco alunos) é um bónus. Os cursos de alemão aborrecem-me e nada melhor do que praticar alemão fazendo algo de que se gosta: desporto.

 

Como algumas bloggers e leitores expressaram o seu desejo de emagrecer e/ou praticar exercício físico - com o instituto de descontarem as frustações do dia-a-dia - resolvi partilhar convosco a minha experiência com o Yoga e sugerir alguns exercícios que podem fazer em casa.  

 

Estes foram alguns dos benefícios que notei ao praticar Yoga:

  • Diminuição do stress;
  • Correção da postura;
  • Flexibilidade;
  • Relaxamento;

 

A todos aqueles que não têm tempo ou orçamento para se inscreverem num ginásio sugiro a aplicação Sworkit e a página Yoga with Adrien. Ambos disponibilizam exercícios básicos ou avançados conforme os vossos conhecimentos. Com a aplicação Sworkit o utilizador escolhe o tipo de exercício (Yoga, Força, Cardio ou Alongamentos) e a duração (mínimo de 5 minutos). No canal de Youtube da Adrien têm disponíveis vídeos de 7, 20 e 40 min. e planos completos para um mês de Yoga.  

 

Quando vivíamos em Glarus utilizava frequentemente a aplicação e mais tarde os vídeos da Adrien. Se querem realmente mudar e tornarem-se mais activos, experimentem estas ou outras aplicações e vídeos. Só depende de vocês!

 

Concluo a nossa sugestão de hoje com um pequeno vídeo de 7 minutos de Yoga. Bom fim-de-semana e pratiquem desporto.

***

Im Februar habe ich mich bei einem Yogakurs angemeldet. Mein Ziel war es, mir zu zwingen, mehr mit anderen Leute zu reden. Die Tatsache, dass ich die Erfahrung liebe (wir sind nur 5 Teilnehmer) ist ein Bonus. Die Deutschkurse sind für mich langweilig und es ist besser deutsch zu lernen, wenn man etwas lustiges wie Sport macht.

 

Da einige Blogger und Leser sich wünschen abzunehmen oder Sport zu machen, habe ich entschieden, Ihnen meine Erfahrung mit Yoga und auch ein paar Übungen, die Sie zu Hause tun können zu teilen.

 

Wenn man keine Zeit oder Geld für ein Fitness-Studio hat, empfehle ich die Sworkit-App und die Videos Yoga with Adrien. Beide bieten Übungen für Anfänger oder Fortgeschrittener, gemäss Ihren Kenntnissen. Mit Sworkit kann man die Art (Yoga, Kraft, Cardio und Stretching) und Dauer (mindestens 5 Minuten) der Übungen wählen. In Adriens YouTube-Video-Kanal haben Sie 7, 20 und 40 min Videos und vollständige Pläne für einen Yoga-Monat.

 

Hier sind einige der Vorteile, die ich mit Yoga bemerkt habe:

  • Stressreduktion;
  • Korrektur der Körperhaltung;
  • Flexibilität;
  • Entspannung;

 

Als wir in Glarus gewohnt haben, habe ich häufig diese App genutzt und später habe ich die Videos von Adrien geschaut. Wenn Sie sich wirklich verändern wollen, machen Sie Übungen, probieren Sie diese oder andere Apps und Videos. Es liegt ganz an Ihnen!

 

Ich schliesse unseren Vorschlag mit einem kleinen 7 Minuten Yoga-Video. Haben Sie ein schönes Wochenende und machen Sie Sport!

Já nos safámos! || Wir hatten Glück!

Por vezes, o que começa por ser um azar – uma multa de 40 francos de estacionamento – pode terminar em sorte. O episódio que vos contamos hoje é um bom exemplo disso!  

 

Para o nosso automóvel poder estar estacionado na rua (zona azul) precisamos de uma autorização de estacionamento para residentes (escrevemos sobre este assunto aqui). Acontece que na semana passada o arquitecto esqueceu-se de a colocar visível - no carro - e por consequência recebemos uma multa. Quando vi o papel laranja no vidro nem queria acreditar. Na nossa perspectiva, a multa era injusta por três motivos:

 

  1. A autorização está paga até ao final do ano;
  2. A polícia tem uma fotocópia dos nossos documentos do carro, por isso há um registo do pagamento;
  3. Há uma semana que o carro estava estacionado no mesmo local e com a autorização visível.

 

Em conclusão, a pessoa que nos passou a multa agiu de má fé. A primeira opção deveria ser a colocação de um aviso e não de uma multa. Esta segunda-feira fomos à polícia expor a nossa situação e levámos a autorização de estacionamento connosco. Como foi a nossa primeira vez perdoaram-nos o esquecimento.

 

Sigam o nosso conselho: se acham que estão a ser injustiçados, reclamem! Partilhem connosco as histórias mirabolantes das vossas multas.

 

bussgeld.jpg

 

***

Manchmal, etwas was schlecht beginnt – eine 40 Franken Parkbusse – kann auch gut enden. Die Episode, die wir heute erzählen werden ist ein gutes Bespiel davon.

 

Damit unser Auto auf der Strasse (Blaue Zone) parkiert bleiben kann, brauchen wir eine Anwohnerparkkarte (wir haben bereits über dieses Thema geschrieben). Es stellt sich heraus, dass letzte Woche der Architekt vergessen hat, diese im Auto zu setzen und wir haben eine Parkbusse bekommen. Als ich das orangefarbene Papier auf dem Auto gesehen habe, konnte ich es nicht glauben. Unserer Meinung nach war die Busse aus drei Gründen falsch:

  1. Die Anwohnerparkkarte ist bis Ende dieses Jahres bezahlt worden;
  2. Die Polizei hat eine Kopie von unseren Fahrzeugpapiere, also es gibt ein Zahlungsbeleg;
  3. Während einer Woche haben wir unser Auto auf dem gleichen Parkplatz gehabt.  

 

Demnach war das Bussgeld ungerecht. Die erste Option sollte eine Warnung sein und erst danach eine Busse. Am Montag waren wir bei der Stadtpolizei und haben unsere Situation erklärt. Da es unsere erste Busse war, wurde sie erlassen.

 

Folgen Sie unseren Rat: Wenn Sie denken, Sie wurden unfair behandelt, klagen Sie!

Teilen Sie uns die wunderbaren Geschichten über Ihre Busse mit.

Vitra Design Museum

vitra_12jpg.jpg

 Elytra Filament Pavilion

 

Quando escrevo a palavra museu alguns leitores têm tendência para desligar. Acontece que o Vitra Design Museum não é um típico museu de exposições, grande (e maçudo, dirão alguns). É antes uma das maiores colecções do mundo de mobiliário de design moderno. Para melhor entender a originalidade e interesse deste museu, é preciso conhecer o seu passado.

 

Antes do museu ser fundado em 1989 por Rolf Fehbaum, a Vitra produzia e vendia exclusivamente mobiliário para apartamentos e escritórios. Em 1981 ocorreu um incêndio que destruiu grande parte das suas fábricas. Como uma fénix renascida das cinzas, o Vitra Campus foi sendo reconstruído ao longo dos anos por arquitectos mundialmente conhecidos:

 

Datas a reter sobre os edifícios do Vitra Campus:

  1. Fábrica (edifícios de Frank Gehry (1989), Zaha Hadid (1993), Siza Vieira (1994), entre outros);
  2. Vitra Design Museum, exposições temporárias (Frank Gehry, 1989);
  3. Vitra Haus, showroom (Herzog de Meuron, 2010);
  4. Vitra Schaudepot, exposição permanente (Herzog de Meuron, 2016);

 

Falando especialmente da Vitra Haus (o nosso local favorito), o espaço onde se encontra o showroom e a loja é espetacular! O edifício tem quatro andares e cada andar está decorado de forma diferente e com artigos de designers famosos. Alguns desses artigos vêm acompanhados por uma etiqueta com o nome do autor e ano da sua criação. Ficámos rendidos a alguns dos modelos de cadeiras e desiludidos com os sofás. Os nossos designers favoritos são Charles & Ray Eames, autores do modelo Lounge Chair & Ottoman (super confortável!).

 

Se gostam de mobiliário alternativo, decoração e arquitectura têm que visitar este showroom e a exposição permanente onde aprendem um pouco sobre a história por detrás de cada produto. Neste momento podem também ver a exposição temporária Olá Robot. Design entre o homem e a máquina / Hello, Robot. Design between Human and Machine) - indicada para miúdos e graúdos.

 

vitra_.jpgvitra_03jpg.jpgvitra_02jpgvitra_04jpg.jpgvitra_05jpgvitra_06jpg.jpgvitra_07jpg.jpg

vitra_08jpg.jpgvitra_09jpg.jpgvitra_10jpg

Fábrica,  Alvaro Siza Viera

vitra_zahahadid.jpg

 Quartel dos Bombeiros, Zaha Hadid

Como vêem o fim-de-semana passado foi divertido e educativo. Fica aqui uma dica: quando forem a Basel visitem o Vitra Design Museum que se encontra próximo desta cidade, mais precisamente em Weil am Rhein na Alemanha (há transportes directos). Tenham um agradável fim-de-semana!

Vichy

vichy_06.jpg

 

Como anunciámos no texto anterior, apresentamos hoje o último episódio da nossa travessia Lisboa – Zurique. O nosso destino foi Vichy, cidade mundialmente conhecida pelas suas águas termais e rebuçados. Na nossa opinião toda a cidade parece um pequeno mas bonito museu histórico. Para ficarem a conhecer todos os cantos desta cidade, aconselhamos-vos a pedirem um mapa no turismo.

 

Ao percorrerem o caminho assinalado ficam a conhecer a história da cidade, edifícios históricos, as termas e uma nascente onde se pode beber água medicinal. O tempo era convidativo a banhos, mas a maioria dos espaços estavam encerrados naquela semana. Dica: se querem comprar souvenirs (ímanes e/ou posters) façam-no no turismo, porque é difícil encontrá-los noutras lojas. Nós comprámos os famosos rebuçados de Vichy, para nós e para oferecer.

 

vichy_02.jpg

vichy_03.jpg

vichy_09.jpgvichy_08.jpgvichy_07.jpgvichy_04.jpgvichy_05.jpgvichy_10.jpgvichy_01

 

Esperemos que as nossas sugestões e peripécias vos tenham sido úteis. Aproveitem as nossas dicas e marquem as vossas próximas férias. Se perderam alguma publicação, não se preocupem que as podem consultar aqui.

 

***

Wie wir im vorigen Text geschrieben haben, werden wir heute die letzte Episode unserer Reise Lissabon – Zürich präsentieren. Unser Ziel war Vichy, eine Stadt die Weltweit für seine Thermalquellen und Halsbonbons bekannt ist. Unserer Meinung nach sieht die Stadt wie ein schönes, kleines historisches Museum aus. Um diese Stadt kennenzulernen, empfehlen wir Ihnen beim Touristeninformation einen Stadtplan abzuholen.

 

Auf diesem Weg können Sie die Geschichte der Stadt, historische Gebäude und Thermalbäder und auch eine Quelle, wo man Heilwasser trinken kann, kennen. Das Wetter war sehr kalt, aber die meisten Thermalbäder waren diese Woche geschlossen. Tipp: Wenn Sie Souvenirs (Magnete und Posters) kaufen möchten, machen Sie es im Tourismusbüro, weil in anderen Läden wird es schwierig. Wir haben die bekannten Vichy Halsbonbons gekauft.

 

Wir hoffen, dass unsere Empfehlungen und Abenteuer nützliche waren. Nutzen Sie diese Tipps und buchen Sie Ihre nächste Reise. Falls Sie einen Text verpasst haben, können Sie hier alle finden.

Limoges

limoges_05.jpg

 

Falta-nos apenas escrever e publicar um texto para terminarmos a nossa viagem. Há um proverbio português que ilustra o nosso sentimento: “o que é bom, acaba depressa”. E efetivamente a nossa viagem (e o relato dela) acabou demasiado rápido. Não vamos continuar a lamentá-lo, porque na verdade divertimo-nos bastante e o texto de hoje reflete isso.

 

Recordam-se do episódio do emigrante que nos fez sinais de luzes na autoestrada para nos cumprimentar (ver aqui)? A caminho de Limoges aconteceu-nos uma situação muito similar: um jovem casal suíço abordou-nos numa estação de serviço: bateram no nosso vidro e cumprimentaram-nos em dialeto suíço. Ficámos sensibilizados com o gesto, mas explicámos que apesar do carro ter matrícula suíça, nós éramos portugueses – atitudes como esta(s), aquecem-nos o coração.

 

Segundo os nossos planos chegaríamos tarde a Limoges, e por essa razão decidimos parar para descansar e jantar em Angoulême – cidade conhecida pelo maior festival de banda desenhada da Europa, realizado todos os anos desde 1974. Em viagens longas aconselhamo-vos a planearem bem as vossas pausas. A nossa paragem em Angoulême serviu para vermos as ilustrações que estão espalhas pela cidade.

 

angolême_03.jpgangolême_01.jpg

crepe.jpgangolême_02.jpg

 

Em Limoges visitámos o Four des Casseaux – um dos últimos cinco fornos de porcelana da cidade. Limoges é mundialmente conhecida pelos seus esmaltes, porcelanas e barris de carvalho. Como devem calcular trouxemos recordações: dois pratos em forma de coração. Ao explorar a cidade encontrámos um restaurante português, Le Magellan – o dono era uma simpatia (emigrante de segunda geração) que nos ofereceu pastéis de nata. Os pratos eram de inspiração portuguesa, mas com um toque francês. Recomendadíssimo!

 

limoges_02.jpglimoges_01.jpglimoges_03.jpglimoges_04.jpg

 

Com o almoço tomado fizemo-nos à estrada, porque ainda estávamos um pouco longe de casa. Regressamos na próxima quarta-feira com a última publicação desta aventura!

  • Subscrever por e-mail

    A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.