Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Heidiland

Viver rodeada de montanhas, vacas, gatos e suíços // Wohnen neben Bergen, Kühen, Katzen und Schweizern.

Heidiland

Viver rodeada de montanhas, vacas, gatos e suíços // Wohnen neben Bergen, Kühen, Katzen und Schweizern.

Lucy, a/die Babysitter

cats_babys.jpg

 (nenhum animal ou criança se magoou no decorrer deste episódio)

 

Quando vos apresentámos a Lucy (a nossa gata) escrevemos algumas particularidades do seu feitio – pouco sociável e receio de estranhos e crianças – que no entanto se foram alterando ao longo do tempo. O único aspecto que ainda permanecia era o medo de crianças. Como sabem os mais pequenos são naturalmente mais “barulhentos”, energéticos e não medem o perigo como um adulto. Das poucas vezes que a Lucy esteve no mesmo espaço que crianças (menores de 4 anos) optava sempre por se esconder noutra divisão*.

 

Por isso ficámos bastante surpreendidos com a reação dela no dia que fiquei a tomar conta de um bebé de três meses de uma amiga. Como animal naturalmente curioso cheirou a alcofa, o bebé (com a minha supervisão), pediu-me atenção e veio dormir ao nosso redor. Parece-nos que o receio inicial passou e até convive bem com os mais pequenos. Naquele dia a Lucy estava tão descontraída e feliz que a apanhei a tentar entrar na alcofa do bebé para dormir: é uma abusadora (no bom sentido)!

 

Em conclusão, quando pensamos que conhecemos bem o nosso amigo de quatro patas, eles acabam sempre por nos surpreender. É importante ressalvar que nunca devemos negligenciar o nosso amigo de quatro patas com a vinda de um novo membro na família. Partilhem connosco alguma história divertida dos vossos patudos com outras pessoas. Até à nossa próxima publicação!  

 

*Um pequeno pormenor: se a criança for maior, calma e mostrar interesse em brincar com a nossa gata, ela derrete-se toda. A Lucy tinha um pequeno fascínio pela nossa antiga vizinha de 9 anos.

 

***

(Während dieser Episode würde kein Tier oder Kind verletzt.)

 

Als wir Ihnen Lucy (unsere Katze) präsentiert haben, schrieben wir über ihren Charakter – ungesellig und misstrauisch gegenüber Fremden und – der sich aber mit der Zeit verändert hat. Das einzige, das noch blieb war die Angst vor Kindern. Wie Sie wissen, sind Kleinen natürlich „lauter“, haben mehr Energie und können Gefahr nicht so gut wie Erwachsene beurteilen. Die wenige Male die Lucy im gleichen Zimmer mit einem Kind (unter 4 Jahren) war, hat sie immer gewählt, in ein anderes Zimmer zu gehen.

 

Letzte Woche habe ich ein dreimonatiges Baby einer Freundin betreuet und war durch die Reaktion von Lucy überrascht. Als neugieriges Tier hat sie die Tragewanne und das Kind (unter meiner Aufsicht) gewittert und neben uns geschlafen. Es scheint, dass die anfängliche Angst geendet hat. An diesem Tag war Lucy so entspannt und glücklich, dass ich sie in der Tragewanne gefunden habe – sie ist frech)!

 

Wenn wir denken, dass wir unsere Vierbeiner kennen, kann er uns immer noch überraschen. Es ist wichtig zu beachten, dass man mit der Ankunft eines neuen Familienmitglieds sein Vierbeiner nicht vernachlässigen sollte. Teilen Sie mit uns einige lustige Geschichte von Ihrem Tier mit anderen Menschen. Bis zum nächsten Post!

 

*ein Kleines Detail: wenn das Kind etwas älter und ruhiger ist und mit unserer Katze spielen will, hat sie es gern und keine Angst. Lucy hat unsere 9-Jährige Nachbarin geliebt.

Lucy e as Férias! // Lucy und die Ferien

lucy.jpg

 

Hoje vamos falar sobre a Lucy e as nossas férias. A nossa gata anda muito carente: persegue-me pela casa, dorme em cima das minhas pernas e mia sempre que vou ao correio.

 

A rapariga não gosta de ficar sozinha em casa, mas também não gosta de viajar. Sempre que nos ausentamos de casa é o mesmo drama. Quem diz que os gatos são independentes não conhece a minha Lucy, ela adora-nos!

 

Como sempre pedimos à nossa vizinha para tomar conta da Lucy. A filha dela adora a nossa gata. É uma situação win-win: eu ganho uma cat sitter e a rapariga “ganha” um animal de estimação temporário.

 

E vocês? Como gerem as vossas férias: os vossos patudos ficam com amigos, familiares ou num hotel?

 

//

 

 Heute werden wir über Lucy und unsere Ferien sprechen. Unsere Katze sehnt sich nach uns: zu Hause verfolgt sie mich, schläft auf meinen Beinen und immer wenn ich die Post abhole, miaut sie.

 

Sie mag weder nicht allein zu Hause bleiben noch fahren. Immer wenn wir das Haus verlassen, ist es dasselbe Drama. Wer meint die Katzen seien unabhängig kennt meine Lucy nicht, sie liebt uns!

 

Wie immer haben wir unsere Nachbarin gebeten sich um Lucy zu kümmern. Ihre Tochter liebt unsere Katze. Es ist eine Win-Win Situation: ich bekomme eine Katzebetreuerin und sie gewinnt zeitweise ein Haustier.

 

Und Sie? Wie verwalten Sie Ihre Ferien: bleiben Ihre Haustiere mit Freunden, Verwandten oder in einem Katzenhotel?

Lucy, a gata // Lucy, die Katze

Lucy 02.jpg

Hoje vou apresentar a gata e contar um pouco da sua história antes e depois de ser adoptada. Para mim adoptar a Lucy foi um sonho tornado realidade. Só tenho que agradecer ao Arquitecto, que apesar das suas dúvidas e receios lá me deixou adoptar a gata.

 

A Lucy nasceu na rua e foi recolhida pela Associação Bianca de Sesimbra. Viveu com a sua irmã Luna numa família de acolhimento até ser adoptada, por nós, a 28 de Janeiro de 2012.

 

Como conheci a Associação Bianca?

Conheci a Bianca através de um amigo e voluntário desta associação. O projecto “Vamos passear o cão” acontece no primeiro sábado de cada mês. Um grupo de voluntários reúne-se para passear e socializar os cães do abrigo. A Bianca conta com a ajuda destes voluntários para passear os mais de 300 cães que albergam.

 

Porque adoptei um gato?

Eu adoro animais e nunca tive a oportunidade de adoptar um cão ou um gato. A minha avó nunca aceitou a ideia, argumentando que a nossa casa era demasiado pequena. Continuo a adorar animais e ainda sonho ter um cão e outro gato. A Lucy trouxe uma nova energia, alegria e faz-nos muita companhia.

 

Conselho a quem quiser adoptar um novo animal de companhia:

Antes de adoptar deve verificar o seu orçamento familiar e colocar a seguinte questão: tenho dinheiro para sustentar um animal de companhia? Um gato ou cão implica despesas, algumas delas bem caras: comida, veterinário ou um eventual imprevisto. Nós pensámos em todos esses aspectos antes de adoptar. É muito importante ser um dono responsável, porque abandonar nunca é uma opção.

 

Como ajudar a Associação Bianca?

Existem diversas formas de ajudar a Bianca: donativos monetários ou de ração, participar na recolha de alimentos nos supermercados, divulgar nas redes sociais os animais disponíveis para adopção ou ser voluntário. Para ser voluntário basta contactar o abrigo por email ou aparecer ao fim-de-semana. As adopções ocorrem ao sábado entre as 12 e as 17h.

Aqui ficam algumas fotos de cães e gatos disponíveis para adopção.

 

The 3 musketers.jpg

 (Nik, Eugénia e Sol)

Para adopção.jpg

 (cão: Amarelo; gatos para adopção responsável)

Julio para adopção.jpg

(Julio para adopção responsável)

Gatos para adopção.jpg

 (Gatinhos para adopção responsável, infelizmente não sei o nome de todos)

 

 

  • Subscrever por e-mail

    A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.