Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Heidiland

Viver rodeada de montanhas, vacas, gatos e suíços // Wohnen neben Bergen, Kühen, Katzen und Schweizern.

Heidiland

Viver rodeada de montanhas, vacas, gatos e suíços // Wohnen neben Bergen, Kühen, Katzen und Schweizern.

A importância de saber outro idioma || Die Wichtigkeit von Fremdsprachen #2

canalizador.jpg

foto: Bauklempnerei-triebel

 

Em maio escrevemos um texto sobre a importância de saber outro idioma, e contámos uma estória para o justificar. Hoje retomamos esse tema com um incidente/acontecimento que nos deixou quatro dias sem aquecimento.

 

O episódio ocorreu no primeiro sábado do mês e teve como intervenientes eu, o canalizador e os vizinhos de cima. Como não entendo suíço-alemão (dialeto) foi complicado falar com o canalizador (era italiano e não falava alemão).

 

Para concertar os aquecedores do nosso apartamento foi necessário desligar o aquecimento geral do prédio. O que o canalizador não mencionou é que era fundamental os vizinhos de cima estarem em casa para poder retirar o ar dos aquecedores. Resultado: o trabalho ficou incompleto e todo o prédio ficou sem aquecimento.

 

No domingo acordámos e o apartamento estava gelado. Nesse dia ainda houve uma troca de telefonemas e uma tentativa da parte do vizinho de retirar o ar dos aquecedores mas nada. Só na terça-feira é que conseguimos ter finalmente o aquecimento a funcionar.

 

Por isso, tornamos a dizer que é importante aprender a língua do pais onde residimos. Se o canalizador soubesse falar alemão ter-nos-ia informado (ao telefone ou na primeira visita) que era necessário que os vizinhos estivessem em casa.

 

Textos de que poderão gostar ou que poderão ser úteis:

5 dicas para quem quer aprender alemão!;

Dicionários ferramentas de aprendizagem;

Música como ferramenta de aprendizagem.

***

 

Im Mai haben wir einen Text über die Wichtigkeit von Fremdsprachen geschrieben, und eine Geschichte dazu erzählt. Heute werden wir dieses Thema wiederaufnehmen, mit einem Vorfall durch den wir vier Tage ohne Heizung geblieben sind.


Die Episode hat am ersten Samstag des Monats stattgefunden und hatte als Hauptfiguren ich, der Heizungsinstallateur und unsere Nachbarn. Weil ich Schweizerdeutsch nicht spreche, war es mit dem Haustechniker (er war Italiener und sprach nur Schweizerdeutsch) schwierig zu reden.

 

Um die Heizkörper unserer Wohnung zu reparieren, war es nötig die Heizung des ganzes Wohnhauses abzustellen. Der Heizungsinstallateur erwähnte aber nicht, dass unsere Nachbarn zu Hause sein sollten, um die Heizung zu entlüften. Deshalb wurde die Arbeit nicht vervollständigt und das Wohnhaus unbeheizt.

 

Am Sonntag sind wir aufgestanden und die Wohnung war kalt. An diesem Tag haben wir mit dem Haustechniker telefoniert und unser Nachbarn hat versucht, die Heizkörper zu entlüften. Nur am Dienstag hat die Heizung wieder funktioniert.

 

Deshalb sagen wir nochmals, dass es wichtig ist die des Landes in dem man wohnt zu lernen. Wenn der Haustechniker Hochdeutsch sprechen könnte, hätte er uns (am Telefon oder beim ersten Besucht) informieren können, dass unsere Nachbarn zu Hause sein sollten.

 

Texte, die Sie gern haben oder nützlich sein können:

5 Tipps zum Deutsch lernen!;

Wörterbücher: Lernwerkzeuge;

Musik als Lernwerkzeug.

  • Subscrever por e-mail

    A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

  • Kommentare

  • Imagem de perfil

    Heidiland 16.11.2016 11:18

    É possível vir morar para um país e não saber a língua eu não sabia falar alemão e aprendi rapidamente o básico. Além disso, se viveres numa cidade grande rapidamente encontras pessoas que falem inglês. Acontece que deve haver um mínimo esforço de ambas as partes para se fazerem entender. O senhor nunca me disse em alemão ou suíço que era fundamental ir ao apartamento do vizinho de cima. Se não me dizem com todas as letras, eu não posso adivinhar.
    Por exemplo: o meu vizinho de cima adapta a forma de falar, quando está a falar comigo. É suíço e percebeu rapidamente que eu falo apenas alemão e devagar.
    Se souberes falar uma das várias línguas oficiais penso que te safas bem no Luxemburgo. Procurar online blogues que te possam a ajudar a descobrir o modo de vida lá. Assim não terás muitas surpresas.
  • Imagem de perfil

    Mula 16.11.2016 13:52

    Tenho família lá para um apoio inicial. Eu falo inglês, mas eles lá não falam inglês... Por isso é que sempre ficamos de pé atras e não arriscamos. Agora as nossas condições mudaram muito, para melhor, para já não estamos a pensar, mas a hipótese ainda não foi totalmente descartada.
  • Imagem de perfil

    Heidiland 16.11.2016 13:56

    Se tens apoio familiar tens a tua vida muito facilitada Quando chegámos a Glarus não conhecíamos ninguém, a sorte é que arquitecto tinha trabalho e falava alemão suficiente para nos desenrascarmos.
    Se estás bem mantêm-te aí isto é muito giro, mas por vezes, sinto falta da confusão e do caos tipicamente português.
  • Imagem de perfil

    Mula 16.11.2016 14:10

    Sem dúvida que sim, que teria a vida muito mais facilitada!
    Só não sei se conseguiria viver num local, como é o Lux, e como é onde vives - suponho - em que um dia acordasse para ir trabalhar e tivesse neve até aos joelhos! ahahaha Por isso é que só se as coisas começarem a correr muito mal por aqui, para já estou bem como estou. Acho que me iria custar horrores viver longe da mãe e dos amigos. ^_^
  • Imagem de perfil

    Heidiland 16.11.2016 14:27

    Não te preocupes que a neve cai gradualmente e não apanhas sustos É a única pena que tenho em não morar em Glarus: a falta de neve.
    Eu sou muito apegada à minha mãe, por isso, custou-me muito adaptar-me, mas com o tempo tudo passa.
  • Imagem de perfil

    Mula 16.11.2016 14:37

    ahahahahaha coo vês eu percebo bué disso dos países frios! ahahahahahah
    Imagino que sim, que só custem os primeiros tempos, até porque depois também se fazem novas amizades e acabamos por sentir o novo país também como nosso! ^_^
  • Imagem de perfil

    Heidiland 16.11.2016 14:43

    Eu também não percebia muito, porque nunca tinha estado num país frio e visto neve. Com o tempo uma pessoa aprende e oferece conselhos
    Em Glarus não consegui fazer muito amigos, mas tenho três em Zurique que valem por muitos.
  • Imagem de perfil

    Mula 16.11.2016 14:45

    Eu mesmo aqui que vivi toda a minha vida tenho poucos Débora. Mas prefiro guardar estes poucos e saber que os tenho ali, no matter what, do que ter muitos e depois me deixarem ficar na mão. Poucos e bons minha linda! ^_^
  • Imagem de perfil

    Heidiland 16.11.2016 14:57

    Sempre tive muitos conhecidos e a poucos chamava de amigos. Com a nossa vinda para os Alpes esse número pequeno ficou ainda mais reduzido. É incrível como algumas pessoas nos tomam como garantidos: uma amizade tem e deve ser alimentada.
  • Imagem de perfil

    Mula 16.11.2016 15:55

    Claro que sim, sempre. Não é um cliché que as amizades são como as plantas... mas também te digo, quando é só regada de um lado acaba por morrer na mesma... Todavia, eu estranho sempre aquelas pessoas que têm amigos em todo o lado...
  • Comentar // Kommentieren:

    CorretorEmoji

    Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

    Este blog tem comentários moderados.

    Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.